Publicar fotos de bebês no Facebook coloca mães em risco de depressão

O estudo descobriu que as mulheres que sentiram pressão social para serem mães perfeitas e que se identificaram mais fortemente com seu papel de maternidade postaram no Facebook com mais frequência do que outras.

Menina engraçada fazer selfie no celular e deitada perto de sua mãe em uma cama branca. Recém-nascido olhando para a câmera e sorrindo. Cuidar da mãe é o mais importante na vida do bebêO Facebook é um ótimo lugar para compartilhar histórias, mas confiar nele para se sentir bem com relação à criação de seus filhos pode ser arriscado. (Fonte: Thinkstock Images)

Mães educadas e que trabalham, por favor, tomem atenção! Se você costuma postar fotos de seus bebês recém-nascidos no Facebook e não consegue postagens positivas o suficiente, a depressão está à sua espera.

identificação de folhas de carvalho vermelho



Se uma mãe postar no Facebook para obter a afirmação de que está fazendo um bom trabalho e não recebe todos os 'curtidas' e comentários positivos que espera, isso pode ser um problema e ela pode acabar se sentindo pior, observaram os autores.

consulte Mais informação

  • Como o trabalho em casa atrapalhou o equilíbrio entre a vida profissional e a vida das mães
  • Um professor de ciências explica: Como o sono está relacionado à memória?
  • 6 maneiras de tornar a higiene das mãos divertida para crianças
  • A mãe artista dá lições de vida para a filha no Instagram
  • 'Fizemos o nosso melhor para entretê-los': como Ryan Gosling, Eva Mendes, conseguiu a quarentena com as filhas

O estudo analisou um grupo específico de mães - altamente educadas, a maioria mulheres casadas do Meio-Oeste que tinham empregos em tempo integral. Ele descobriu que aquelas que sentiam pressão social para serem mães perfeitas e que se identificavam mais fortemente com seu papel de maternidade postavam no Facebook com mais frequência do que outras. Essas mesmas mães que postaram com mais frequência também relataram reações emocionais mais fortes aos comentários sobre as fotos que postaram de seu novo bebê - como sentir-se mal por não receber comentários positivos suficientes.



Embora muitas novas mães sejam ativas no Facebook, esses resultados sugerem que algumas parecem mais atraídas pelo site do que outras e podem usá-lo de maneiras nada saudáveis, disse Sarah Schoppe-Sullivan, professora de ciências humanas da The Ohio State University .



Na verdade, as mães que postaram mais no Facebook tendem a relatar mais sintomas depressivos após nove meses de paternidade do que outras mães. A mensagem não é que o Facebook seja necessariamente prejudicial. Usar o Facebook pode não ser uma plataforma eficaz para as mulheres buscarem e obterem validação externa de que são boas mães, acrescentou Jill Yavorsky, coautora e estudante de doutorado em sociologia em um artigo publicado na revista Sex Roles.

Os pesquisadores usaram dados do New Parents Project, um estudo de longo prazo co-liderado por Schoppe-Sullivan. Ao todo, 127 mães de Ohio participaram deste estudo. Como essa amostra inclui principalmente mulheres com alto nível de escolaridade de casais com dupla carreira, os resultados podem não se aplicar a todas as novas mães, especialmente aquelas que não trabalham fora de casa, observou Schoppe-Sullivan.

Nove meses após o nascimento do bebê, os pesquisadores mediram o quanto as mulheres no estudo se identificavam com seu papel de mãe. Os pesquisadores também mediram a frequência de suas atividades no Facebook desde que o filho nasceu. O estudo mostrou que as novas mães no estudo usaram o Facebook quase universalmente para compartilhar sobre seus filhos e 98 por cento disseram que tinham enviado fotos de seus bebês.



A nova mãe média relatou um ligeiro aumento no uso do Facebook desde que seu bebê nasceu. Uma das principais descobertas foi como as mães que pensavam que a sociedade esperava que eles fossem perfeitos e que se identificavam fortemente com seu papel de maternidade reagiram às postagens no Facebook. Essas mães prestaram muita atenção aos comentários que receberam quando postaram fotos de seus bebês.

Eles se sentiam validados quando recebiam muitos gostos e comentários, mas também eram mais propensos a se sentir mal e decepcionados quando a reação não era o que esperavam, apontou Yavorsky. Estas não são mães que ficam em casa em nosso estudo. Eles têm empregos fora de casa que também podem fornecer validação, o que torna nossos resultados ainda mais interessantes. Eles têm outros sucessos a apontar para validação, comentou Schoppe-Sullivan.

Todas as mães devem saber por que estão usando o Facebook. É ótimo compartilhar histórias e fotos de seu bebê, mas contar com o Facebook para se sentir bem com sua paternidade pode ser arriscado, sugeriram os autores.



Para atualizações de notícias, siga-nos no Facebook , Twitter , Google+ E Instagram