Assassinatos mais infames

Um resumo dos mais recentes thrillers nas livrarias

Into the Water, Paula Hawkins, editora de pingüins, resenha do livro Into the Water, Party Girls Die in Pearls, The Girl BeforePaula na Água

Nome do livro : Dentro da água



Autor : Paula Hawkins

Editor : Pinguim



Páginas : 353



Preço : 599

A alegria do primeiro mergulho é algo que todo nadador que se preze irá garantir. A lufada de ar e a onda inebriante de adrenalina à medida que seu corpo atinge a água, o súbito amortecimento de todos os ruídos e, então, quando alguém vem à superfície, a sensação de estar vitalmente vivo. O segundo romance de Paula Hawkins depois de seu álbum de estreia, The Girl on the Train, no entanto, nunca se recupera do mergulho. Ele cai de cabeça em águas escuras e turvas na cidade de Beckford, em Northumberland, e então, pelo resto do romance, tropeça ao tentar irromper à superfície, bem como seu protagonista, Jules Abbott.

Uma visita da polícia informando-a sobre a morte acidental de sua irmã afastada Nel traz Jules de volta ao único lugar do qual ela sempre quis escapar: sua casa em Beckford, perto de Drowning Pool, o local de muitas humilhações infantis. Jules odeia a água, mas ela sabe que Nel, um excelente nadador, não poderia ter se afogado. O que poderia tê-la matado então? Foi ela investigando os muitos afogamentos misteriosos na piscina ao longo dos anos, incluindo o recente do melhor amigo de sua filha?



Afinal, Nel havia escrito em seu manuscrito, Beckford não é um local para suicídio. Beckford é um lugar para se livrar de mulheres problemáticas. Viver à altura de um primeiro romance que vendeu mais de 18 milhões de cópias é uma tarefa difícil. Hawkins dá uma cambalhota para um começo atmosférico, antes de apresentar mais de 10 vozes narrativas para levar adiante o fio do mistério. É um projeto ambicioso e você pode ver como o autor quer amarrá-lo com um comentário sobre como as mulheres que ousaram se rebelar foram atormentadas ao longo dos anos. Mas, depois de certo ponto, a narrativa começa a parecer trabalhosa, a estrutura incômoda e o mistério, morno. É um pouco decepcionante, porque Hawkins tem um pulso definido para mapear as falibilidades de vidas comuns. Talvez encontre sua voz em um filme.

Into the Water, Paula Hawkins, editora de pingüins, resenha do livro Into the Water, Party Girls Die in Pearls, The Girl BeforeParty Girls in Pearls

Nome do livro : Party Girls in Pearls

tipos de arbustos para privacidade

Autor : Plum Sykes



Editor : Bloomsbury

Páginas : 335

Preço : 499



É Gossip Girl-meet-Agatha Christie neste mistério de assassinato ambientado na Universidade de Oxford de 1985. Plum Sykes, editora colaboradora da Vogue americana, joga com força e define seu retorno à ficção em quase uma década entre os ricos e decadente ambientado na universidade de artes de maior prestígio da Grã-Bretanha (aliás, também sua alma mater).

Ursula Flowerbutton busca um curso de História Moderna no campus do Christminster College de sua modesta casa de fazenda em Gloucestershire, em Cotswold, e se vê imediatamente atraída por um mundo de estudantes universitários chiques com uma escola particular com uma queda por festas, jogos de azar e a última moda . Antes que Ursula possa se levantar, ela se torna um policial quando descobre o corpo de India Brattenbury, a garota mais esnobe da matilha, no escritório de seu don. Ela pode resolver o mistério e ganhar um posto de repórter no prestigioso jornal da faculdade Cherwell? Assistida por sua amiga, Nancy Feingold, uma mal-humorada estudante americana de intercâmbio, Ursula está determinada a seguir o caso até o seu sórdido fim, exceto que o assassino parece estar apenas um passo à frente dela.

O primeiro livro de Sykes no que deve ser uma série Oxford Girl Mystery é um guia de trapaça para fácil detecção, uma leitura leve e escapista muito distante das intensas ficções policiais do mercado. Em vez de realismo corajoso e reviravoltas psicológicas, há uma pitada liberal de tendências da moda (botas de duendes, vestidos com body-con e saias ra-ra, alguém?) E um senso de humor divertido no retrato de Syke do conjunto de champanhe de Oxford (Horatio Bentley, Cherwell's colunista de fofocas, em particular, é uma piada). Se você quiser acompanhar o lookbook dos anos 80 (e por que não, visto que o retrô nunca sai de moda), vá em frente e mergulhe.

Into the Water, Paula Hawkins, editora de pingüins, resenha do livro Into the Water, Party Girls Die in Pearls, The Girl BeforeNão deixe ir

Nome do livro : Não deixe ir

Autor : Michel Bussi (traduzido por Sam Taylor)

Editor : Orion Books (Hachette)

Páginas : 324

Preço : 399

como identificar lenha de nogueira

Os Bellions - Martial, Liane e sua filha de seis anos, Sopha - são o protótipo perfeito de uma família feliz que os resorts em ilhas exóticas querem exibir em seus folhetos turísticos. Mas então, em uma dessas férias na Ilha da Reunião, Liane vai até o quarto do hotel para se trocar, deixando Martial e Sopha relaxando na piscina, e desaparece. No momento em que a agulha da suspeita paira sobre Martial, ele sai correndo com Sopha.

Se a premissa das últimas novidades de Michel Bussi soa familiar, você faria bem em desistir de noções preconcebidas. Bussi é um artista consumado, e o menor de seus pontos fortes é o alcance. Seu deslumbrante romance de estreia em inglês, After the Crash (2015), foi seguido por Black Water Lilies, de longa duração e inesperado; agora, o francês experimenta um tropo bem usado e o leva a um desfecho surpreendente. Don't Let Go é um thriller incrível - conciso, tenso e sempre se movendo em um ritmo frenético, mas a perseguição é apenas metade da diversão.

Como em seus romances anteriores, o cenário é essencial no mundo que Bussi constrói - sob seu escrutínio cuidadoso, o caldeirão que é Reunião ganha vida enquanto ele provoca as tensões raciais que fervilham sob a superfície. Há momentos de inesperada e profunda ternura, uma espécie de alívio do ritmo ofegante da caçada. Talvez, os membros mais cativantes do elenco variado de Bussi sejam os oficiais de investigação - Aja Purvi e seu segundo em comando, Christos Konstantinov - cada um tentando domar seus demônios e tirar o melhor proveito do acordo que a vida lhes serviu e apenas metade deles conseguindo isto. Ao mesmo tempo familiar e ingênuo, Don't Let Go é outra gorjeta para o excelente artesanato de Bussi.

Into the Water, Paula Hawkins, editora de pingüins, resenha do livro Into the Water, Party Girls Die in Pearls, The Girl BeforeA garota antes

Nome do livro : A Garota Antes

Autor : JP Delaney

Editor : Livros Quercus

Páginas : 406

Preço : 399

Procurar um apartamento decente na cidade com um orçamento limitado é a matéria dos pesadelos modernos, mas, e se você tivesse a chance de viver em um apartamento de alta tecnologia - a casa dos sonhos de um arquiteto cobiçado - com um aluguel mínimo, você deveria? passar em seu rigoroso processo de triagem?

Emma e Jane, as narradoras do romance de estreia de JP Delaney, estão se recuperando de um trauma quando a chance de morar na One Folgate Street, no coração de Londres, se abre para elas. Seu arquiteto, o rico, bonito e peculiar Edward Monkton, é um defensor da vida minimalista no estilo de Marie Kondo e as duas meninas têm que superar seu churrasco excêntrico, muitas vezes beirando a intrusão, para morar lá.

A casa em si é o tipo que aparece no Architectural Digest - impessoal, desordenado e dependente de tecnologia. As janelas fotossensíveis antecipam a mudança no clima, a internet é habilitada de forma diferente dentro das instalações, restringindo o Google e o Safari e permitindo apenas a 'governanta' impessoal definir os termos de uso. A conformidade não é negociável - existem sensores e câmeras monitorando cada tentativa do locatário de autoaperfeiçoamento. Conforme a história pula entre 'Then: Emma' e 'Now: Jane', Delaney constrói uma narrativa de imagem espelhada onde as garotas parecem seguir um padrão definido orquestrado por Monkton, que inclui ter um caso com ele nas linhas de Cinquenta Tons de Cinza. Jane escapará do destino de Emma?

Há um elenco de personagens estranhos, que pesam em suas opiniões sobre Emma e Jane, nenhum dos quais é construído em grandes detalhes, apesar de compartilhar todos os seus pensamentos com o leitor. Delaney segue o modelo comercialmente viável de Gone Girl e The Girl on the Train, lançando um narrador não confiável para agitar as coisas. Apesar de todas as semelhanças, Emma e Jane são pessoas muito diferentes e chegam a fins diferentes (e difíceis). O desfecho é a maior decepção, especialmente depois da reviravolta fascinante dos acontecimentos que o levaram. Mas Delaney certamente tem um olho infalível para detalhes e ritmo cinematográficos, características que renderam ao livro um contrato para ser transformado em filme por Ron Howard antes de sua publicação.